No dia 26 de junho, o escritório do Fonasc.CBH em São Luís, MA recebeu a bibliotecária Thaís Rodrigues, fotógrafa e cinegrafista. É integrante e atua no Grupo de Incidência Política da Rede de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) da Ilha Literária, do Maranhão. Suplente no Conselho Municipal de Cultura de São Luís e Conselheira do Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB) da 3° região. Integrante da Comissão de Elaboração do Plano Municipal do Livro, Leitura e Bibliotecas de São Luís e o cordelista Moizes Nóbrega, artista arte educador, radialista, ocupa a cadeira 11 da Academia Ateniense de Letras e Saberes da área do Itaqui Bacanga e Embaixador CRBE (Conselho Representante de Brasileiros no Estrangeiro) de Cordel do Mundo, ambos têm como missão apontar dentre 21 concorrentes aqueles que serão os 3 primeiros colocados no I Concurso Literário RIO JENIPARANA.

Tivemos um total de 21 inscritos e a seleção está disputadíssima. O Comitê Infanto Juvenil da Bacia Hidrográfica do Rio Jeniparana já conta com a participação de escritores mirins de valor reconhecido e com livros publicados. A ideia é fazer ao final da seleção uma Coletânea de todos os cordéis e os três primeiros colocados darão início às páginas da referida Coletânea. 

A capa ainda é segredo, mas o Comitê Infanto Juvenil já iniciou tratativas para poder contar com mais um parceiro nessa empreitada. Estamos falando de um artista que em todas as suas obras, retrata o povo e a rica cultura da sua terra em xilogravuras que encantam o mundo. Vale dizer que o Comitê Infanto Juvenil também pensa em visitar seu ateliê para aprender sobre essa técnica que faz uma dupla perfeita com o cordel.

Para Moizes Nóbrega “em meio a era digital, em que cada vez mais pessoas optam pela leitura de livros e publicações em dispositivos eletrônicos, o livreto de cordel permanece vivo, presente na cultura brasileira, especialmente no Nordeste, onde são vendidos em feiras e praças.” Thais Rodrigues ressaltou em sua fala que a construção de textos por partes dos alunos é uma atividade de suma importância que deve ser aplicada também em outras disciplinas. A produção textual desenvolve a escrita, a coordenação motora e estabelece uma ligação entre matérias como o português, história, geografia e artes e meio ambiente como estamos vendo agora.” 

Thereza Christina, vice-coordenadora nacional do Fonasc.CBH e todas as escolas que compõem o Comitê Infanto Juvenil, estão muito satisfeitas com os resultados que já se vislumbram, a parceria com Thais e Moizés, o engajamento dos alunos com a ação proposta em comemoração ao Dia Mundial da água e ao aniversário de 12 anos do Comitê Infanto Juvenil e as possibilidades de construção de mais parcerias e estreitar outras como foi com a Universidade Estadual do Maranhão – UEMA que somou esforços com o Comitê e nos dará parte da premiação. Enfim, o trabalho ainda não acabou. Muitas surpresas estão por vir. É só aguardar para conferir!

Saiba mais sobre o Rio Jeniparana no link a seguir: https://fonasc-cbh.org.br/?s=rio+jeniparana