POPULAÇÃO DE MATO GROSSO DIZ NÃO AO COTA ZERO

POPULAÇÃO DE MATO GROSSO DIZ NÃO AO COTA ZERO

Texto: Ascom Fonasc.CBH
Data: 11/08/2019

Pescadores profissionais, amadores, comerciantes da rede pesqueira e donos de restaurantes estiveram presentes na última quinta–feira, dia 08, na escola Professora Maria Barbosa Martins, no Bom Sucesso em uma Audiência Pública, aonde o ´´NÃO´´ ao Cota Zero foi unânime.

Essa Audiência Pública teve como proposito dar voz ao povo, para que a população pudesse se pronunciar sobre o projeto proposto e apresentado a Assembleia Legislativa, pelo Governador do Estado de Mato Grosso Mauro Mendes Ferreira, Projeto Cota Zero, que já está na Assembleia para ser votado e transformado em lei, assim como o dourado foi proibido a pesca por um certo período, esse projeto a ser votado proíbe muita coisa, inclusive o transporte do peixe, só se pode pescar e comer na beira do rio, proibindo o transporte do peixe.

Segundo Nilma Lima, tem muito mais nesse projeto que prejudica mais de 100 mil pais de família.

O Deputado Estadual Wilson Santos ressalta e afirma que esse projeto não é de autoria do conselho estadual da pesca, é de autoria do  governo do estado de Mato Grosso e que não representa a opinião do conselho, e que o governador não encaminhou a opinião e não ouviu o conselho que é composto por dezoito instituições, dentre elas  o Fonasc-CBH representado dentro do conselho pela pesquisadora Luciana Ferraz.

O Conselho de pesca é um órgão responsável por subsidiar o poder público na definição de política da pesca. Wilson Santos ainda completa que nesse projeto aonde em Mato Grosso do Sul já está funcionando desde fevereiro, deste ano, muitos municípios estão tendo desemprego, aumento da violência perda da economia, pescadores que nasceram na beira dos rios pescando há décadas, profissão que aprenderam com os pais a alimentar a sociedade, perderam o rumo, não sabendo e nem tendo outra atividade.

Do dia para a noite, o projeto diz que o pescador profissional não poderá mais viver da pesca, eles querem a pesca esportiva do peixe (pegar o peixe brincar uns 5 a 10 minutos, maltratando o peixe, bater fotografias, fazer selfie, filmar e depois devolver o peixe para o rio, com o peixe muitas vezes cego com a guelra estourada, deixando o peixe fragilizado diante de peixes maiores), como esse peixe vai sobreviver, como vai caçar para sobreviver?

´´É falta de respeito com os pescadores e pescadoras que fazem dos rios o sustento de sua família que vão colocar desempregados 10 mil pescadores que tem no estado, isso é uma covardia´´, diz o senhor Belmiro Miro, presidente e representante da colônia Z14 de Várzea Grande, que convidou a população pesqueira a estarem presentes nas próximas 5(cinco) audiências públicas com votação até 5 de setembro onde os deputados estarão votando na Assembleia Legislativa pela manhã do dia 14/08 deste mês.

Estiveram presentes na ocasião, mostrando sua indignação e dizendo não ao projeto, 3 (três) colônias de pescadores, a Z1, Z8, e Z 14, com apoio do Fonasc-CBH que entende que a representação da sociedade civil, é legitima e é um ator importante na política de recursos hídricos, a audiência foi finalizada após ouvir relatos e manifestos do pescadores e representantes das colônias presente na audiência pública.

 

 

 

 

blogs

Vídeo

RECENTES