A LUTA DO CASO MARIANA CONTINUA

A luta do Caso Mariana continua

Texto: Ascom Fonasc.CBH
Data: 01/08/2018

O maior desastre ambiental do Brasil, conhecido como Caso Mariana, quando a barragem de Fundão se rompeu e trouxe inúmeros prejuízos, principalmente para a bacia do Rio Doce, que após o episódio tornou-se o Rio de Lama.

O Fonasc.CBH, desde então, apresentou demandas relativas aos problemas na gestão das águas do Rio Doce, na CTPNRH, na CTIL e também no plenário do Conselho Nacional de Recursos Hídricos.

Outro ponto importante foi proposto ainda em 2015 pela coordenação nacional do Fonasc. Foi  encaminhado para a secretaria executiva do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) uma proposta de resolução que cria o Grupo Técnico de Acompanhamento das Ações Mitigatórias e Compensatórias de Políticas Públicas para Restauração e Revitalização Integrada dos Corpos d’Água da Bacia do Rio Doce, bem como seus objetivos e composição.

Para o coordenador nacional do Fonasc, João Clímaco a relevância dessa matéria se aplica uma vez que a sociedade brasileira está sobressaltada com o grau de insuficiência a que chegou o Estado e a legislação de recursos hídricos e também com a incapacidade do SIHGREH de dar respostas frente  as causas que provocaram a  grave tragédia que ceifou vidas e vitimou de maneira irrefutável o Rio Doce e seus afluentes. “Isso teve repercussão internacional, no que tem sido considerado o pior desastre ambiental do Brasil já acontecido até agora e provocado pela negligencia de um segmento econômico com forte poder de pressão dentro do Estado Brasileiro”, disse.

O Fonasc vai continuar lutando para que haja políticas efetivas para a bacia do rio Doce.

blogs

Vídeo

RECENTES