OCA DO SOL E FONASC.CBH REAFIRMARAM INTERESSES DA SOCIEDADE CIVIL NAS DISCUSSÕES DOS GTs DO CBH PARANAÍBA EM GOIANIA

OCA DO SOL E FONASC.DF REAFIRMARAM INTERESSES DA SOCIEDADE CIVIL NAS DISCUSSÕES DOS GTs DO CBH PARANAÍBA EM GOIÂNIA

O representante da ONG  do segmento da sociedade civil no CBH Paranaíba, João Clímaco e  a representante do Movimento Verde  Paracatu (Mover), Cris Cici questionaram o projeto do Governo do Distrito Federal que carreou recursos da ordem de 40 milhões de euros  para apoiar o  8º Fórum Mundial da Água.  Ambos os representantes mencionaram que existem alternativas viáveis para a questão das águas “Não se deve reforçar eventos legitimadores da privatização dos nossos recursos hídricos, que afeta, na sua lógica os grupos sociais  mais vulneráveis, como os quilombolas, indígenas, pescadores, as  comunidades tradicionais; portanto  reafirmamos nosso apoio ao Fórum Alternativo Mundial da Água – Fama 2018″, disseram os representantes dos segmentos da sociedade civil.

Além de João Climaco (Fonasc.CBH/Oca do Sol) e Cris Cici (Movimento Verde Paracatu/Fonasc.CBH/FAMA2018) participaram ainda da reunião da CTPI (Câmara Técnica de Planejamento Institucional), que aconteceu no dia 08 de fevereiro, para tratar da análise do pleito do (GDF) Governo do Distrito Federal, com a itemização de demandas daquele governo no sentido carrear investimento em ações para minimizar os efeitos da crise hídrica que assola  o DF,  representantes da ANA e demais membros do GT Hidrovia, GT regimento e CTPI – instâncias técnicas do CBH Paranaíba.

FOTO CTPI

Questionou-se a opção política do DF, que em plena crise hídrica na região, o governo desembolsa um valor dessa magnitude para um evento internacional, para reforçar a ideologia da água como valor econômico, em detrimento de investimento urgentes no componente segurança hídrica, que se mostra  necessária, nesta crise que assola o DF.

Diante dessa situação  o represente da Oca do Sol reiterou sua sugestão para que apenas os 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil) previstos dos recursos da cobrança pelo uso dos recursos hídricos na Bacia, fosse prioritariamente aplicado na região dos reservatórios de água e de abastecimento de água em Brasilândia no DF. Tendo em vista, minimizar a pressão antrópica e ambiental sobre aqueles mananciais.

Clímaco sugeriu também que esse plano de aplicação de recursos seja apresentado nos colegiados do DF, ou seja, nos  CBHs e no Conselho Distrital de Recursos Hídricos. A proposta do governo do DF vai ser refeita e novamente apresentada na próxima reunião da CTPI com as adequações solicitadas.

Fonasc.CBH fez proposta inovadora no GT de Regimento em Goiânia - Ainda durante a reunião, os representantes da sociedade civil ainda recomendaram no GT Regimento, que elabora proposta de novo regimento do CBH Paranaiba, que no mesmo  seja inserido  uma cláusula onde seja obrigatória a apresentação de  um balanço anual das atividades do CBH Paranaíba, abordando qualitativamente o estado da arte da política de recursos hídricos e da implementação dos instrumentos de gestão na bacia hidrográfica do Rio Paranaíba. Concluiu-se pedindo que o relatório atual deixe  ser quantitativo para ser qualitativo.

Colaboração de texto e foto: Cris Cici

blogs

Vídeo

RECENTES